StrongLoop, Argon and Node.js v5

And here we were, guard relaxed, Node.js v4 was out and compatibility was looking nice and green on CI. Customers and clients were re-assured and all was serene. And then comes along Node.js v5. We can already hear your question: “Wait! What? Should we upgrade?” with eyebrows raised… So here is a bit of the story, but bottom line: for Production usage, and StrongLoop support, keep using Node.js v4, also named Argon.

Read more

A month with IBM

How I learned to stop worrying and love big blue.

 

This is200px-IBM_logo.svg the story of one StrongLooper becoming one IBMer. And while it does not represent the thoughts and experiences and hopes of all StrongLoop employees, I felt it was important to share my thoughts. As our regular readers will recall, StrongLoop was acquired by IBM about five weeks ago to bolster IBM’s entrance into the Node.js community and increase its API offerings. For a startup just a few years old, in a technology not much older, this was an exciting move. But I’m not here to talk about how important APIs and Node have become in the enterprise, I’m here to talk about what it has been like to integrate into the big blue sea that is IBM.

Read more

Moving toward Express 5

by Hage Yaapa and C. Rand McKinney

Express 5.0 is still in the alpha release stage, but we want to give you a brief look at the changes that will be in the release and how you can migrate your Express 4 app to Express 5.

Express 5 is not very different from Express 4: The changes to the API are not as significant as from 3.0 to 4.0.  Although the basic API remains the same, there are still breaking changes; in other words an existing Express 4 program may not work if you update it to use Express 5.

Read more

Principal meta para o Node Corporativo

Hoje é um grande dia para a indústria de software e para a evolução do projeto Node.js. Tenho o prazer de anunciar que a StrongLoop, a empresa líder que fortalece a economia de API com soluções Node, foi adquirida pela IBM, uma das mais respeitadas empresas de TI do planeta. Como parte da IBM, vamos conseguir aumentar drasticamente o ritmo de nossa inovação, atingir um maior alcance no mercado global e ampliar o nosso suporte aos clientes. Para as empresas que ainda não adotaram amplamente o Node, essa mudança vai introduzir a confiança de que esta tecnologia veio para ficar e ser apoiada pelas organizações de porte mundial.

Bem melhor juntos

Desde as minhas primeiras reuniões com a IBM, ficou bem claro para mim que essa parceria é ideal para a próxima fase de expansão da StrongLoop e para acelerar a adoção do Node nas empresas. Ambas as empresas compartilham a mesma visão das mudanças que estão ocorrendo no mercado, no cenário open source e no papel do Node no futuro da TI corporativa. A StrongLoop tem essa visão desde a sua fundação, como foi demonstrado através da criação de um portfólio de soluções baseadas em Node, além das várias contribuições e papéis de liderança na comunidade Node.js. A IBM é reconhecida como líder de mercado na área da TI corporativa e no meio open source. Ela não é uma estranha na comunidade, na verdade, é um patrocinador fundador da Fundação Node desde o início deste ano.

E o que mais?

Com este anúncio de hoje, a StrongLoop passa a fazer parte do portfólio de softwares líderes de mercado da IBM, que inclui o WebSphere, o DataPower e o Worklight, dentre outros. Não só os softwares da StrongLoop continuarão disponíveis, como também vão ser integrados com os produtos da IBM, incluindo o Bluemix, MobileFirst e WebSphere. Juntos, a IBM e a StrongLoop vão trazer ao mercado soluções inovadoras em Java e em Node que vão permitir às empresas construir uma nova geração de micro serviços e de APIs escaláveis e seguras. São esses serviços e essas APIs que vão fortalecer a criação de novos produtos para dispositivos móveis e IdC (Internet das Coisas) em cada empresa no meio de uma transformação digital.

Nossa intenção com o LoopBack e o Express permanece a mesma: inalterada. Agora com os recursos da IBM seremos capazes de ampliar e acelerar de uma forma que não poderíamos conseguir sozinhos.

Toda infra-estrutura de suporte e os relacionamentos de negócios existentes permanecerão inalteradas por enquanto e a StrongLoop continuará com toda a divulgação e suporte responsivo que os clientes têm esperado da gente. Estou bastante empolgado com o futuro da StrongLoop como um novo membro da família IBM e com a principal meta de representar o Node nas empresas. Agradeço a todos por fazer parte dessa meta!

Leituras adicionais

  • Em detalhes: O que essa aquisição significa para a comunidade Node? Leia o blog de Issac Roth, CPO da StrongLoop
  • Em detalhes: O que essa aquisição significa para as comunidades Express e LoopBack? Leia o blog de Al Tsang, CTO da StrongLoop
  • Ainda com dúvidas? Confira a FAQ que criamos para esclarecer as principais dúvidas relacionadas a essa aquisição.

O que a aquisição da IBM significa para a comunidade LoopBack e Express

Com a grande notícia de hoje, uma das perguntas que não quer calar na mente das pessoas é…

“O que vai acontecer com os projetos LoopBack e Express?”

Eu estou escrevendo este blog para responder essa pergunta como um co-fundador e CTO da StrongLoop. Nós também preparamos um FAQ para criar uma referência a muitas das respostas respondidas neste blog.

Mas, antes que eu faça isso, vou tomar a liberdade por alguns minutos para recapitular como chegamos até aqui…

O dia que a LoopBack nasceu

Três anos atrás, fundamos a StrongLoop com a missão de dar uma resposta ao seguinte desafio – “qual o jeito mais rápido e fácil de construir APIs de forma sustentável que atenda às necessidades de dispositivos móveis, da nuvem e agora a Internet das Coisas (IdC)”

Na StrongLoop, sentimos que tínhamos uma oportunidade para encarar esse desafio com uma nova geração de soluções feitas em Node.js. O Node, como todos sabem, é uma biblioteca assíncrona de baixo nível para o desenvolvimento de aplicações de rede de forma fácil e altamente escalável. Quando começamos, havia uma tonelada de frameworks construídos em cima do Node para ajudar um desenvolvedor criar soluções. Na verdade, era um dos nossos engenheiros, o co-autor de um dos frameworks mais populares. Todos eles tinham uma coisa em comum – aumentar a produtividade de forma rápida sem escrever toneladas de código repetitivos que todos nós precisamos e que esperamos que já exista algo pronto e implementado.

Decidimos aceitar o desafio e aproveitar a oportunidade, mas para fazer isso – estabelecemos um nicho. Sim – já existia e ainda existe, um monte de frameworks de Node por aí, mas no meu ponto de vista, nenhum deles foi realmente voltado para casos de uso coorporativos e desenvolvido e mantido por uma empresa que tenha parte do seu núcleo de negócios focado em Node.

E foi assim que o LoopBack nasceu.

Os objetivos e ideais por trás do LoopBack foram e ainda são:

  • proporcionar o máximo de produtividade ao desenvolvedor como um opção de framework – mas de forma transparente – não existe nada mais assustador para um desenvolvedor do que ter um monte de código gerado e não poder alterar.
  • criar um núcleo open source que atenda o caso de uso de qualquer negócio para integrar facilmente serviços e fontes de dados em uma API uniforme para que toda a comunidade de desenvolvimento consiga tornar a economia de API uma realidade.
  • construir um ecossistema com núcleo open source que atenda às necessidades corporativas.

E quanto ao Express?

Como a maioria das pessoas que usaram o LoopBack já sabe que o LoopBack é construído em cima do Express. Quando a StrongLoop assumiu a gestão do repositório GitHub e do site, houve uma especulação do que iria acontecer versus o que realmente foi feito.

Não houve nenhuma introdução de código proprietário. Não houve nenhuma alteração na licença. Não houve nenhuma substituição dos mantenedores.

Muito pelo contrário, uma grande quantidade de tempo e esforço foi gasto no que a comunidade disse que estava faltando – uma melhor documentação.

Nossas intenções no Express sempre foram:

  • continuar apoiando o projeto Express como organizadores da comunidade sempre que possível e de forma direta.
  • continuar apoiando qualquer inovação na comunidade para moldar o rumo e a direção técnica do Express.
  • se beneficiar da associação entre o Express e o LoopBack como uma escolha super natural ao desenvolver APIs, especialmente em casos de uso empresarial e desafios técnicos relacionados.

Com esse anúncio de hoje, não vejo nenhuma mudança imediata nas metas do LoopBack e Express e nem vejo qualquer mudança em um futuro próximo – exceto a ampliação e aceleração para algo melhor…

O que quero dizer com isso?

Quantas vezes você me viu se lamentando publicamente sobre algo que queríamos ter feito, mas foi prejudicado por limitações de recursos? O que eu vejo nesse anúncio de hoje é um impulso nas metas e ideais do que o LoopBack e o Express são em todos os sentidos. Sem falar no aumento de foco e recursos adicionais para realizar grande feitos, de forma rápida e em larga escala.

Alguns fatos importantes sobre como eu cheguei nessa conclusão…

  • A IBM adquiriu a StrongLoop porque eles determinaram que estamos no caminho certo com a nossa abordagem de open source para ambos os framework, LoopBack e Express. Confira abaixo o slide que Jerry Cuomo (IBM Middleware CTO e Fellow) que foi apresentado na Interconnect da IBM 2015, onde o Express e o LoopBack tem papéis de destaque.

moving at high speed with Open Communities

  • A IBM tem uma história de longa data de apoio na comunidade open sourcemais recentemente no mundo Java – e no Node, como por exemplo, o Node-RED.
  • Ritchie Martori e um membro da comunidade Express, o Hage Yaapa, estão trabalhando nos geradores que o mantenedor líder do Express, o Doug Wilson, tinha imaginado o Express como sendo uma estrutura de base utilizável por todos.
  • A equipe de mantenedores do LoopBack continuam inovando com extensões livres que são de alguma forma cobradas por outros softwares comerciais, incluindo funcionalidades de dispositivos móveis – o mais recente é o SDK Xamarin.

E o que mais?

Dado o que a StrongLoop tem realizado nos últimos três anos com os frameeworks LoopBack e Express, juntamente com o compromisso comprovado da IBM em financiar e contribuir para comunidades open source, especificamente para a comunidade Node – você pode esperar que o “melhor ainda está por vim” para esses dois projetos.

Comece a usar o LoopBack na IBM Bluemix

Você está a poucos passos para experimentar o framework LoopBack na plataforma Bluemix da IBM. Confira o meu vídeo de como é fácil começar…

video de como é fácil começar com o Bluemix da IBM

Leituras adicionais

  • Em detalhes: o que esse pronunciamento significa para a StrongLoop e seus clientes e parceiros? Leia o blog de Juan Carlos Soto, CEO da StrongLoop
  • Em detalhes: O que essa aquisição significa para a comunidade Node? Leia o blog de Issac Roth, CPO da StrongLoop
  • Ainda com dúvidas? Confira a FAQ que criamos para esclarecer as principais dúvidas relacionadas a essa aquisição.